A rua mais surpreendente e incomum de Paris

Créditos: mapio.net

Quem passa por essa inusitada rua da capital francesa muitas vezes nem percebe que se trata de uma rua, pois com seus 222 degraus divididos em nove lances, que medem ao todo 105 metros e com uma queda de 37 metros, a Rue Foyatier é, sem dúvida, uma das mais atípicas de toda a cidade.

Créditos: George Brassai

Para subir (ou descer) seria o mesmo que percorrer 12 andares de um prédio pelas escadas. Acredite: se você passar por aqui, suas pernas farão você se lembrar dessa rua pelo menos até o dia seguinte…

Fotos desta e de outras escadarias de Montmartre se tornaram ícones de Paris, graças ao trabalho de Brassai (foto acima) e de outros grandes fotógrafos.

Uma atração que sobe e desce

Créditos: mapio.net

Ligando a Place Suzanne Valadon, na base da colina, à Sacré-Coeur, esta rua corre em paralelo com famoso Funicular de Montmartre, espécie de bonde elétrico que transporta por ano, mais de dois milhões de passageiros que por um motivo ou por outro optam por não subir ou descer pelas escadas. Este cantinho charmoso da cidade nos oferece muitos elementos da Paris mais antiga: lâmpadas de rua, muitas árvores, corrimão desgastado pelo tempo, trechos em paralelepípedos, artistas de rua e ângulos perfeitos para fotos pra lá de criativas. Tem ainda a Place Louise Michel, um jardim público que fica logo ao lado e com seus 2,5 hectares, toma quase toda a colina de Montmartre.

A rua, inaugurada em 1867, recebeu este nome em 1875 em homenagem ao escultor francês Denis Foyatier (1793-1863) e se trata de uma das raras ruas de Paris que não possui habitantes e existe, em toda a sua extensão, apenas um endereço oficial, o número 1, que é uma Escola de Ensino Básico (Ecole de Garçons) – foto abaixo.

Aos que se aventurarem na subida, serão recompensado pela deslumbrante vista panorâmica de Paris lá de cima.

Quem foi Denis Foyatier

O escultor neoclássico Denis Foyatier nasceu em 21 de setembro de 1793 em Bussières, no Loire. Ele começou a trabalhar em figuras religiosas enquanto fazia aulas de desenho em Lyon.

Em 1817, ingressou na Escola de Belas Artes de Paris e, em 1819 se tornou pensionista da Académie de France, em Roma. Foi na Villa Medici que ele criou, ainda em gesso e em uma escala reduzida, sua obra Spartacus que foi apresentada em público pela primeira vez no Salão de Paris, em 1827 e posteriormente, a pedido de uma comissão real, foi esculpida em mármore em 1828.

Foyatier foi condecorado com a legião de honra em 1 de maio de 1834 e morreu em Paris em 19 de novembro de 1863.

Spartacus, sua obra mais famosa está exposta no Museu do Louvre (foto abaixo).

Como chegar:

Rue Foyatier, 75018 – Montmartre
Metro: Antuérpia (linha 2), Abbesses (linha 12)

GOSTOU DESTE POST? COMENTE E COMPARTILHE. ISSO NOS AJUDA A MELHORAR NOSSO TRABALHO PARA VOCÊ!

Confira mais artigos como este em www.parissempreparis.com.br

Para relatar um erro, envie uma mensagem para redacao@parissempreparis.com.br

Siga-nos em nossos outros canais:
Facebook ParisSempreParis
Instagram @ParisSempreParis
Twitter @Sempre_Paris
Pinterest ParisSempreParis
YouTube ParisSempreParis
Linkedin ParisSempreParis

Paris Sempre Paris
Paris Sempre Paris
Meu nome é Rogerio Moreira, além de jornalista, sou publicitário e estudei em instituições como PUCC, Unicamp e FGV. Apaixonado por história, acredito que o estudo de nosso passado nos ajuda a entender como nos tornamos o que somos hoje. Nesse blog, busco reunir e compartilhar curiosidades e histórias incomuns sobre Paris e a cultura francesa. Dessa forma pretendo mostrar o lado quase que desconhecido da cidade, fora dos roteiros turísticos tradicionais. Vamos comigo nessa viagem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *